Poesia Concreta – COMBUSTÍVEL

POESIA CONCRETA

de Rodrigo Bravo

 

COMBUSTÍVEL